quarta-feira, 21 de janeiro de 2009


Excentricamente bela e talentosa, Josephine Baker cativou o mundo a partir do meio da década de 20 e, ao morrer em 1975, havia sido escolhida como símbolo da beleza negra do século XX.

No dia 2 de outubro de 1925, vestindo no corpo escultural apenas com uma tanga de bananas, dançou um charleston - ritmo desconhecido na Europa - no quadro intitulado La Danse Sauvage.

Joséphine tornou-se a musa cubista, além de outros pintores e escritores (foi grande amiga de Ernest Hemingway, F. Scott Fitzgerald e Pablo Picasso) e despertou o entusiasmo dos parisienses pelo jazz e pelos ritmos sulistas americanos. Viveu um romance tórrido com George Simenon (escritor belga radicado na França e criador do personagem Detetive Maigret) o que aumentou em doses iguais a veneração e o assombro na França colonial e racista de então. Pela seu vasto conhecimento interpessoal, foi recrutada como agente secreta dos aliados na II Guerra Mundial.

Quebrou regras de comportamento, especialmente as relativas ao sexo, com amores multifacetados. Ao dançar vestida apenas com um saiote estilizado de cachos de banana, extasiou as platéias. Esteve no Brasil em 1929, 1939, 1952 e 1963.

Quando veio cantar no Brasil em 1939, foi por obra do acaso. Joaquim Rolla, proprietário do lendário Cassino da Urca subiu num navio que retornava da Argentina para contratar Bing Crosby (o que acabou não se concretizando). Rolla voltou à terra com outra contratatada que acabou dando muito certo, a Pérola Negra. As apresentações dela no Cassino da Urca foram um estrondoso sucesso no país. O contrato na Urca acabou se estendendo por mais alguns meses, até 1940. No bairro retirado da Cidade Maravilhosa sucederam-se muitos causos.

A cantora predileta de Ary Barroso na década de 1930, Elisa Coelho, ensinou a Vênus Negra a cantar em português o samba O que é que a baiana tem?, de Dori Caimmi. Já Russo do Pandeiro, (que foi integrante do Bando da Lua) acompanhou Baker nestes shows no Cassino da Urca e virou seu amigo. Logo após, Russo recebeu um convite da estrela e viajou com ela para Paris, onde se apresentaram nos maiores cassinos da cidade, quando foram interrompidos pela II Guerra Mundial.

adaptado do blog de Thereza Pires e da Agência FM.

.

3 comentários:

Thereza Pires disse...

Jão

A internet é mesmo para isso:maximizar a informação.
Fico super contente com sua citação,use meu blog `a vontade.Desde que cite a fonte, 'a casa' é sua e volte sempre.
Bjs
Thereza

cathy disse...

O email do Maestro Georges Henry é georges@dglnet.com.br. Escreva uma mensagem para ele que terá satisfação em ajudá-lo. Abs
Cathy (sua filha)

ana paula sandim disse...

Boa tarde João, incrivel.. e adoravel o blog..
te contar propaganda é a arma do negocio, estou eu passeando pela savassi em Belo horizonte, me deparo com o cartaz.. e minha curiosidade falou mais alto.. incrivel e parabens.. Se cuida abraços.